Greve dos caminhoneiros completa 10 dias e deixa Goiás sem gás, com pouco combustível e menos ônibus

porSINDECOFGO

Greve dos caminhoneiros completa 10 dias e deixa Goiás sem gás, com pouco combustível e menos ônibus

A greve de caminhoneiros contra a alta do diesel completa 10 dias, nesta quarta-feira (30), e deixa Goiás sem abastecimento de gás de cozinha e com problemas na distribuição de combustível. Por conta da paralisação, o abastecimento de alimentos está comprometido, esvaziando prateleiras de supermercados e fazendo com que alguns supermercados fechassem as portas.

Na manhã desta quarta-feira, a situação do transporte coletivo de Goiânia, um dos pontos mais críticos da paralisação, continuava crítica. A Companhia Metropolitana de Transporte Coletivo (CMTC) informou que, por conta da falta de óleo diesel, precisou continuar praticando a planilha de férias, com redução de 40% dos veículos da frota.

O estado de Goiás também iniciou esta manhã sem botijões de gás de cozinha. Segundo levantamento do Sindicato das Empresas Revendedoras de Gás da Região Centro-Oeste (Sinergás), todos os produtos em estoque no estado se esgotaram na terça-feira. Por conta disto, goianos estão voltando no tempo e utilizando o fogão de lenha para cozinhar.

A venda de combustíveis também atingiu nível crítico. Segundo o Sindicato da Indústria de Fabricação de Etanol do Estado de Goiás (Sifaeg), a venda do etanol está suspensa porque as distribuidoras não estão conseguindo retirar o combustível que já compraram de dentro das usinas.

O protesto dos caminhoneiros continua em 50 trechos de rodovias goianas, 19 em rodovias estaduais e 31 em rodovias federais. O balanço foi divulgado pelas polícias rodoviárias Estadual e Federal às 9h desta quarta-feira (30).

Fonte: Murillo Velasco, G1 GO – 

Sobre o Autor

SINDECOFGO editor

Deixe uma resposta